quinta-feira, 7 de abril de 2011

MAMOGRAFIA... COMO DOI!

Dr. Rubens Paulo Gonçalves

Mamografia... Como doi!

Por: Dr. Rubens Paulo Gonçalves
Sou Ginecologista há 40 anos. Com o passar do tempo, vi o aprimoramento técnico nas mais diversas áreas da ciência médica. Na área de Radiologia, foram conseguidas coisas incríveis: as Tomografias, as Ultrasonografias, as Ressonâncias Magnéticas, para não falar das Cintilografias, Angiografias etc, que facilitaram os diagnósticos nos trazendo imagens com resolutividade cada vez maior. Há quarenta anos, escuto a mesma queixa quando peço uma Mamografia! ̶ Doutor! Não tem outro exame que substitua esse? Dói muito! Não posso fazer uma Ultrasonografia de Mama? A resposta é sempre a mesma!: ̶ Minha Senhora! A mamografia é insubstituível! A Ultrasonografia, não mostra as mesmas coisas que a Mamografia! A conversa sempre termina assim: ̶ Poderiam inventar algum exame que doesse menos não é Doutor? Cansado de ouvir as mesmas queixas sem poder dar qualquer solução á elas, venho de público manifestar minha insatisfação com quem quer que seja o responsável ou responsáveis por pesquisas nessa área. Não é possível, que se continuem fazendo dos seios uma “pizza”, de tanto que os amassam para poder radiografá-los! Quanto menor o seio, então, mais sofrem as coitadas. Puxam até a pele do pescoço! Se alguém tem prótese de silicone, ao submeter-se a tal exame, tem a impressão que a prótese vai estourar. O máximo de inovação foi a invenção de uma nova forma de revelação, a Mamografia Digital que nos fornece imagens melhores , mas não deixa de fazer a tal “pizza”. Finalmente, acho que encontrei uma explicação para o imobilismo cientifico nessa área: “ OS PESQUISADORES SÃO HOMENS”. Eles não fazem idéia como o exame dói. Gostaria de propor então uma solução para o problema: Vamos instituir um exame dos testículos que seja feito sempre em um mamógrafo: Uma “testiculografia” Que tal? Tenho certeza que se isso acontecesse a grita por um outro método seria tão grande que em muito pouco tempo teríamos um equipamento diferente e um exame totalmente indolor! Esperando que minha colaboração seja recebida por uma mulher editora agradeço a divulgação de minha indignação que com certeza não é só minha, mas de muitos Ginecologistas como eu, e de milhares de mulheres que se submetem a esse exame. São Paulo 23 de Setembro de 2010 Dr. Rubens Paulo Gonçalves CRM 15167 Diretor do Centro Ginecológico Obstétrico Paulista Membro do Corpo Clínico do Hospital Albert Einstein CGOPA@ATTGLOBAL.NET
Dr. Rubens Paulo Gonçalves é médico pela PUC do Paraná, especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Febrasgo, com títulos da Universidade de Würstsburg e da Universidade de Valência.
Atualmente, dirige o Centro Ginecológico e Obstétrico Paulista. Faz parte do corpo clínico dos hospitais Albert Einstein, Sírio Libanes e São Luiz.


5 comentários:

  1. Valeu, Doutor!!! Acabei de fazer a minha primeira mamografia e concordo plenamente com tudo que o Sr. disse! E ao ouvir o meu médico dizer que não doeria nada, a imagem que tive foi exatamente essa: seus testículos sendo prensados ao ponto de quase explodirem e eu fazendo a pergunta:
    E aí, Doutor, ainda acha que não dói nada???:)
    Abraços, sem apertar, por favor...

    ResponderExcluir
  2. Caro doutor,

    Tenho 36 anos, mama média para pequena (sutiã 40) e extremamente rígida. Lamento dizer mas, devido ao meu histórico familiar, terei que realizar minha primeira mamografia por esses dias. Logo, procurei assistir alguns vídeos no youtube e observo que é notório o fato da mamografia digital ser menos dolorosa de modo que este novo método 'aperta menos' a mama_ se bem que as imagens que acessei podem, propositalmente, não registrar totalmente tal exame.

    Me ajude, Dr! Pelo menos, profira uma palavra de consolo em relação a minha questão: mamografia digital doi menos ou é mito???

    Parabéns pelo texto coerente, diga-se de passagem, muito bem escrito!

    Adv. Fabiana- Alphaville (Barueri-SP)

    ResponderExcluir
  3. Amanhã vou fazer a primeira mamografia (digital)e estou apavorada, isso porque tenho dor nos dois seios, imagina a hora que eles espremerem... só de pensar começo a chorar... mas não tenho escolha né? Acho que alguém podia fazer alguma coisa para tornar essas experiências menos dolorosas para nós mulheres.É verdade, nós somos fortes, mas não somos feitas de pedra. Obrigada Doutor.
    Marcia

    ResponderExcluir
  4. A verdade é que ninguém se preocupa em como infringir menos dor e constrangimento nos exames femininos. Não é só a mamografia, temos o famoso papanicolau ao qual a mulher tem que se submeter a cada ano, enquanto que para os homens o exame retal só é necessário caso ocorra alguma alteração em seu exame de sangue. A pergunta é se para os homens o câncer pode ser detectado através de um exame de sangue e confirmado com exame de toque porque com a mulher também não pode ser assim? porque o homem tem que passar menos dor e vergonha que a mulher em um consultório médico?

    ResponderExcluir
  5. Nossa....é isso mesmo Dr.!!!!! Vamos abraçar essa campanha!!!!! Sou técnica em mamografia e concordo plenamente que minhas lindas não sofram mais! Estou com 37 anos e logo estarei no lugar delas! Tento fazer o máximo para não vê-las sofrer, pois saio do hospital todos os dias com dor nas mamas só de fazer os exames. É injusto mesmo, os exames femininos são, na maioria, muito doloridos e constrangedores! Isso tem que acabar!

    ResponderExcluir